A Psicologia e a população mais jovem…

Como é a primeira vez que escrevo para este blog, gostava de começar por me apresentar. O meu nome é Sandra Alves, sou psicóloga clínica, reconhecida pela ordem, possuo o mestrado integrado em Psicologia Clínica e da Saúde, pós-graduação em Mediação Familiar, sou formadora certificada e orgulho-me de pertencer à equipa "Fale Connosco – Saúde Personalizada".

Agora o que me leva a escrever hoje: já se questionou alguma vez acerca do que faz um psicólogo clínico, sobretudo com populações jovens? Se sim, este artigo é para si! Nós, psicólogos clínicos, somos, fundamentalmente, profissionais de ajuda. Um dos nossos principais objectivos é a avaliação e intervenção na modificação de comportamentos que estejam a interferir com o ajustamento e bem-estar da criança ou jovem. A nossa intervenção é baseada no estabelecimento duma relação de empatia e respeito, recorrendo a estratégias favorecedoras do processo de mudança.



Todos sabemos, ou pelo menos ouvimos falar, de situações em que se torna benéfico para os jovens recorrer ao psicólogo clínico, mas, se pensarmos nas crianças mais pequenas, muitos de vós ficarão, talvez, desconfiados acerca da intervenção do psicólogo… 
Se pensa que um psicólogo infantil é uma figura estranha, que recorre a um divã como forma das crianças poderem falar sobre os seus sonhos ou demais traumas, desengane-se! É através de recursos lúdicos que levam à brincadeira, que estes profissionais procuram compreender os sentimentos, angústias e fantasias das crianças. No fundo, as sessões de Psicologia Clínica representam um espaço de partilha, em que a criança se sente verdadeiramente criança! Além desta intervenção individual, o psicólogo realiza ainda entrevistas aos pais, com quem mantém sempre uma relação de proximidade.


Problemas de comportamento, problemas emocionais (depressão, ansiedade, isolamento social), dificuldades de atenção e concentração, dificuldades de aprendizagem, distúrbios alimentares, perturbações de eliminação (enurese e encoprese), perturbações do sono, situações de adopção, divórcio, maus – tratos, processo de luto e problemas relacionais (com pais, professores, colegas ou demais) são alguns exemplos de situações em que o psicólogo clínico poderá assumir uma figura de relevo e grande importância para a ajuda de crianças e jovens.


Actualmente, são cada vez mais os pais e cuidadores que recorrem a profissionais de ajuda como o psicólogo, naquela que é de todas as profissões a mais gratificante, mas ao mesmo tempo a que suscita mais dúvidas e incertezas: a parentalidade. Na verdade, reconhecer a difícil missão de ser pai e enfrentar este desafio recorrendo ao apoio dum psicólogo, é um acto que manifesta um profundo sentido de responsabilidade face ao bem-estar das crianças e jovens. Tal decisão não revela incapacidade ou fraqueza dos pais, mas antes um forte sentido de pertença e entrega pelos seus filhos, e que deve por isso ser aplaudida.


Até ao dia 31 de Outubro estarei a realizar GRATUITAMENTE a primeira consulta de Psicologia Clínica, numa iniciativa que parte da equipa "Fale Connosco – Saúde Personalizada", parceira de consultórios médicos em Lisboa (Medieco), Paço de Arcos (Consultório Médico dos Arcos) e Estoril (Ecoestoril). Esta primeira consulta será realizada com a criança ou jovem e complementada com uma entrevista aos cuidadores. Destina-se a todos os que necessitem dum parecer acerca da necessidade de acompanhamento em Psicologia e/ou orientações iniciais. Não existe qualquer tipo de compromisso futuro ao qual tenha de se fidelizar para poder aceder a esta campanha, por isso, caso pretenda, poderá fazer a sua marcação telefonicamente para 91 777 00 62, ou por e-mail para faleconnosco.saude@gmail.com.

   A Psicóloga Sandra Alves.

Comentários